Um retrato de Saulo Araújo, por Thamyres Gonçalves, ambos participantes do curso de Jornalismo da ComCat e novos autores do favela.info.

Saulo Araújo Marques dos Santos é um morador de Cesarão (Zona Oeste do Rio de Janeiro) de 21 anos, que estuda letras na UVA (Universidade Veiga de Almeida), na unidade de Tijuca. Entrou no curso de jornalismo da Comcat em nome do desejo de dar visibilidade à comunidade na qual nasceu e se criou. “O Cesarão é um lugar que sofre com o abandono do estado, como na maioria das comunidades dessa parte da cidade”, lamenta. No entanto, se esse jovem de poucas palavras seguir a carreira fará coberturas esportivas.

Por causa da dificuldade financeira típica dos jovens da periferia, com frequência recorre à recreação infantil nos eventos da Ação Global, uma parceria entre a Rede Globo e o Sesi de que ouvimos falar nas propagandas da televisão. “Às vezes,faço animação, mas o meu forte é a bolomania”, diz ele, que vê neste projeto mais um exemplo do descaso da cidade em relação ao conjunto habitacional em que mora, que com suas 7 mil casas tem o status de o maior da América Latina. “Trabalho nas Ações Globais em comunidades do Rio inteiro, mas nunca trabalhei perto de casa”, lamenta.

Apesar do gosto pela leitura, que o colocou no caminho dos jornais e das revistas, prefere os títulos acadêmicos ou políticos, como “Negro, liberta-te, de Olympio Marques dos Santos, um dos livros que mais o marcou. “Gosto de ler, mas não me interesso por romances e ficções”, diz.

Saulo mora com a mãe, Sandra Helena Araújo dos Santos, de 51 anos, e o irmão, Ruben Dário Marques dos Santos Júnior, de 25 anos. Seu pai, que tem o mesmo nome de seu irmão e tem dois anos a mais que sua mãe, saiu de casa há cerca de quatro anos. “Meu relacionamento com eles é muito bom”, diz ele, que se orgulha de nunca ter tido “problemas com ninguém”. Fabiano Isidoro, meio-irmão por parte de mãe, é pai de seus dois amores: Estela e Isabela.