Últimas Notícias

ECCO Ponto Brasil Sustentável #RedeFavelaSustentável [PERFIL]

Perfil da Rede Favela Sustentável*

Click Here for English

Iniciativa: ECCO Ponto Brasil Sustentável
ContatoFacebook | Website | Email
Ano de Fundação: 1999
Comunidade: Sede em Honório Gurgel, Zona Norte, com atividades em bairros na região metropolitana do Rio.
Missão: Contribuir para a construção de uma sociedade sustentável, identificando, propondo e implementando soluções integradas para problemas sociais, econômicos e ambientais.
Eventos Públicos: ECCO Ponto organiza discussões, visitações escolares e comunitárias e eventos como o Dia Internacional da Reciclagem.
Como Contribuir: Doando materiais recicláveis, participando de eventos do ECCO Ponto e ajudando a criar mais pontos de coleta.

O Brasil perde bilhões de reais anualmente por não reciclar corretamente. Mas para Edson Freitas, fundador e coordenador de projetos da ONG ECCOVIDA, lixo não existe.

“Não é lixo, é matéria-prima”, Edson disse. “São recursos naturais e de fontes não renováveis. Então eu tenho que cuidar com carinho”.

ECCOVIDA coloca essa mentalidade em prática através de seu projeto, ECCO Ponto Brasil Sustentável, uma cooperativa de catadores de materiais recicláveis que busca preservar o meio ambiente através da reciclagem. ECCO, presente no nome da ONG e no nome do projeto, significa “Educação, Cultura, Conscientização e Orientação”.

Em 1999, após o transbordamento de um canal de esgoto por causa do excesso de lixo, Edson começou a coletar garrafas plásticas em sua comunidade, Morro Jorge Turco, e em comunidades vizinhas na Zona Norte incluindo Honório Gurgel e Morro Faz Quem Quer. Inspirado por um funk de sucesso dos anos 90, ‘Rap Das Armas’, Edson escreveu sua própria versão da música para mostrar à comunidade a importância da reciclagem. Sem treinamento ou trabalho prévio com reciclagem, ele usou seu carro e reboque para construir seu próprio ‘AutoPET’ para coletar uma grande quantidade de garrafas plásticas. E deste modo, ele dirigia seu AutoPET pelas favelas coletando materiais e tocando sua música:

Todos os moradores podem colaborar, separando lixo para reciclar. Então vou te ensinar como reciclar, separando em cada saco o que eu vou ditar. Têm plástico, vidro e metal, papel e papelão, o AutoPET passa, vai recolher do seu portão. Com essa atitude todos vamos ajudar, reduzir o lixo, com as enchentes acabar. Recicle essa ideia meu amigo e meu irmão, ouça essa mensagem que vem do coração, ajude a preservar o meio ambiente. Juntos viver um futuro mais contente, cata cata, cata para preservar”.

O projeto também estabeleceu locais de coleta e, com o passar das semanas, os moradores continuavam a enchê-los com garrafas plásticas. “O pessoal entendeu com a simples mensagem de um funk”, recordou Edson.

Brincando com as duas palavras de som similar Edson explicou que originalmente ele não pensou no “meio ambiente”, mas sim no “meu ambiente” e no bem-estar de sua família. Com o tempo ele percebeu que eles estavam entrelaçados. O projeto evoluiu de uma simples coleta de resíduos para uma série de iniciativas ambientais, incluindo: postos móveis de coleta seletiva, um sistema de compostagem acelerada, educação ambiental, e consultoria e licenciamento ambiental.

No começo Edson trabalhava pela manhã coletando materiais, e após buscar seus filhos na escola sua esposa e filhos ajudavam a separar os materiais. ECCO Ponto chegou a empregar 70 pessoas. Entretanto, a organização enfrentou dificuldades na obtenção de matérias primas e foi difícil obter lucro devido aos altos impostos. Hoje o projeto emprega 32 funcionários de comunidades onde atua, proporcionando às pessoas empregos e salários.

Atualmente o projeto atua em Honório Gurgel, Rocha Miranda, Colégio, Turiaçu, Bento Ribeiro, Marechal Hermes, Madureira, Cascadura, e Manguinhos na Zona Norte e Mesquita na Baixada Fluminense, entre outros bairros do Rio. Embora a organização tem implementado alguns pontos fixos de coleta (ecopontos), também tem equipamento de coleta móvel, que é levado uma vez por semana aos bairros para que as pessoas separem e entreguem os matérias. A maior parte dos materiais recebidos pela cooperativa são garrafas plásticas, que podem ser vendidas para indústrias e transformadas em novos produtos.

Apesar de ter crescido e mudado muito ao longo dos anos, Edson enfatiza que o ECCO Ponto se mantém uma família. “Têm pessoas que a gente conseguiu fazer casa, pessoas que formaram família, a primeira geladeira [adquirida] de uma pessoa”, disse Edson. “Aqui não é uma empresa, aqui não é simplesmente uma cooperativa, aqui é uma família. Aqui é um projeto da vida. Deus deu isso aqui pra ajudar essas pessoas”.

Além de seus impactos positivos para o meio ambiente, saneamento público e para os trabalhadores envolvidos, Edson disse que reciclar também é importante porque não faz sentido pagar pela eliminação inadequada de resíduos: “Para poluir o meio ambiente, para gerar chorume, para causar danos ambientais e depois ter que explorar o meio ambiente para tirar matéria prima, para fazer [tudo] novamente quando poderia estar reutilizando essa matéria prima e reciclando”.

Em adição ao trabalho de coleta de materiais recicláveis ECCO Ponto organiza vários eventos de educação ambiental e visitas para expor a população as práticas e ideias sustentáveis. Com uma sala de eventos e diversos painéis sobre materiais recicláveis em sua sede em Honório Gurgel, ECCO Ponto regularmente recebe visitas escolares. “Estou trabalhando para ver se eu consigo formar 20 comunidades e 50 escolas de desperdício zero. Quando eu falo sobre sustentabilidade, parece que é uma coisa de grandes empresas”, Edson disse. “Eu quero mostrar que a sustentabilidade é uma coisa prática. Todos podem ser sustentáveis”.

Dando mais um exemplo, ECCO Ponto usa alguns materiais recicláveis para artesanato sustentável, consertando bonecas e outros brinquedos quebrados e retornando-os para crianças nas comunidades. O projeto também incentiva pessoas a reciclar óleo vegetal e transformá-lo em biodiesel.

Em 2016 ECCO Ponto foi selecionado para ser o operador oficial de reciclagem nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, um grande reconhecimento de seu trabalho para a cidade. No futuro Edson espera que as pessoas passem a valorizar a sustentabilidade e os benefícios da reciclagem no âmbito econômico e social. “Espero que o poder público reconheça a importância do trabalhador, do catador, do morador da comunidade”, Edson disse. “Lixo quando reciclado gera emprego e renda, quando vai para o lixão gera despesa e poluição”.

*ECCO Ponto é um dos mais de 100 projetos comunitários mapeados pela Comunidades Catalisadoras (ComCat)–a organização que publica o RioOnWatch–como parte do nosso programa paralelo ‘Rede Favela Sustentável‘ lançado em 2017 para reconhecer, apoiar, fortalecer e expandir as qualidades sustentáveis e movimentos comunitários inerentes às favelas do Rio de Janeiro. Siga a Rede Favela Sustentável no Facebook. Leia outros perfis dos projetos da Rede Favela Sustentável aqui.