Últimas Notícias

Dia Internacional da Mulher: Milhares Ocupam Ruas em Protesto a Violência de Gênero [IMAGENS]

Click Here for English

A violência contra as mulheres é uma questão sistêmica no Rio de Janeiro e em todo o Brasil, um país com a quinta maior taxa de femicídios do mundo. Quatro mulheres foram mortas todos os dias, até agora, em 2019. Além das mortes, 12.873 mulheres foram agredidas fisicamente no Brasil a cada dia nos últimos doze meses, totalizando um número impressionante de 536 mulheres atacadas a cada hora, segundo o relatório “Visível e Invisível: A Vitimização de Mulheres no Brasil” do Fórum Brasileiro de Segurança Pública de 2019.

Assim sendo, no dia 8 de março, milhares de mulheres se reuniram nas ruas do Centro do Rio para denunciar a violência baseada em gênero e mostrar seu compromisso com a luta feminista. O coletivo Mulheres Unidas organizou uma passeata em comemoração ao Dia Internacional da Mulher e leu seu manifesto antes de sair da Igreja da Candelária para a estação da Cinelândia.

Milhares de pessoas, incluindo homens e crianças, saíram para apoiar a luta contra a violência e a desigualdade baseadas no gênero.

#1AnoSemMarielle

No manifesto e durante a marcha, muitas mulheres mostraram seu apoio e sua busca por respostas ao assassinato da vereadora Marielle Franco. Quinta-feira, 14 de março, se completou um ano da execução brutal de Marielle e seu motorista Anderson Gomes. Ainda assim, nenhuma resposta foi dada sobre quem ordenou o assassinato.

Muitas faixas alusivas à Marielle Franco puderam ser vistas através da multidão de manifestantes.

Uma mulher solenemente segurava uma placa de rua homenageando Marielle Franco.

Protest0 Contra a Reforma da Previdência Social

A passeata também foi uma chance de mostrar descontentamento com a recente reforma da previdência social realizada pelo governo federal.

Manifesto Internacional Feminista

Organizadoras leram todo o Manifesto Internacional Feminista em voz alta enquanto a multidão composta por mulheres e homens presentes repetiam as palavras.

O texto é produto de uma colaboração entre 24 líderes feministas de diferentes países com o objetivo de criar um movimento feminista internacional para resistir à ascensão da extrema-direita. Das 24 autoras, quatro são brasileiras, sendo elas a escritora e ativista Antonia Pellegrino; Jupiara Castro, fundadora do Núcleo de Consciência Negra; Monica Benício, ativista de direitos humanos e viúva de Marielle Franco; e Sonia Guajajara, da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB).

Veja o álbum completo abaixo (ou clique aqui):

Quer garantir o futuro do RioOnWatch?

A doação mensal é a maneira mais sustentável e eficiente de apoiar nosso trabalho incansável e contínuo em prol das favelas do Rio. Comece seu apoio hoje mesmo. CLIQUE AQUI PARA APOIAR.