Últimas Notícias

Entre o Céu e a Favela: Promovendo Arte, Cultura e Empreendedorismo na Providência #RedeFavelaSustentável [PERFIL]

Perfil de Rede de Favela Sustentável*

Atividade de Entre o Céu e a Favela na Casa Amarela. Foto: Douglas Dobby

Click Here for English

Iniciativa: Entre o Céu e a Favela
Contato: Instagram | Facebook | Email
Ano de Fundação: 2012
Comunidade: Morro da Providência e Morro do Pinto
Missão: Unir, divulgar e valorizar produtores da cultura, arte e desenvolvimento social do Morro da Providência e Morro do Pinto; e oferecer suporte burocrático ao empreendedores culturais locais.
Eventos Públicos: Frequentes produções teatrais e oficinas. Confira a página no Facebook para os próximos eventos.
Como Contribuir: Participe de eventos, seja voluntário e apoie financeiramente a iniciativa.

Fundada em 1897, a Providência, originalmente chamada de Morro da Favela, foi a primeira comunidade conhecida como “favela”. 122 anos após sua fundação, a comunidade é um brilhante exemplo da riqueza cultural das favelas e um símbolo da luta pela justiça habitacional, e pela importância histórica da Providência para a cidade do Rio e para o mundo todo.

Embora a Região Portuária tenha sofrido uma renovação urbana nos últimos anos, a negligência sistêmica e a estigmatização se prolongaram por muito tempo na Providência, de acordo com Cintia Sant’Anna. Cintia, que nasceu e cresceu na comunidade, tem grandes sonhos para a juventude local e pelo significado global da Providência. Cintia é a fundadora do Entre o Céu e a Favela, que trabalha para preservar a cultura local, oferecendo assistência educacional e oportunidades para jovens, artistas e empreendedores. Hoje o coletivo é formado por Elen Ferreira (Pretinhas Leitoras), Andreza Santos (Caiz Store), Isabel Meiroz (Epicentral), Joyce Marques (Favelagrafia), além da própria Cintia.

A partir de 2012, através de uma bolsa da Agência de Redes para Juventude, a organização foi fundada com o objetivo de criar o que era, na época, o único jornal e fonte de mídia comunitária da Providência. Embora o jornal comunitário tenha sido benéfico para a comunidade, Cintia percebeu que suas habilidades como atriz e artista não estavam sendo utilizadas. “Então, depois de três meses dirigindo o jornal, eu comecei a fazer atividades culturais”, diz Cintia. “Comecei ensinar aulas de narrativa e aulas de teatro.” Foi quando a organização começou a se assemelhar ao que é hoje, finalmente desenvolvendo seu próprio site e se estabelecendo em um espaço colaborativo para iniciativas de desenvolvimento social, o Epicentral, onde a organização está baseada. Lá, realizam reuniões comunitárias e inúmeras oficinas e atividades para crianças e produtores culturais.

Pretinhas Leitoras, Bando Teatro FavelaProdução de Guerrilha são três projetos produzidos pelo Entre o Céu e a Favela, e estão entre treze projetos nos quais o grupo ajuda na realização, todos engajando jovens e produtores culturais.

Apesar de frequentemente carecer de recursos financeiros, o grupo continua a ter sucesso. Cintia acredita que tem a ver com os sistemas naturais de sustentabilidade econômica que existem dentro das favelas, para além da acumulação e do consumo de capital. “Funcionamos dentro de um sistema de compartilhamento e troca”, ela diz. “Eu acho que dentro da favela a gente sempre fez isso, mas agora trouxeram esse nome: sustentabilidade.Sempre ajudando os outros na comunidade quando podem, a organização também recebe apoio quando precisar—desta forma, se mantêm relacionamentos mutuamente benéficos e se fortalecem laços locais.

Apesar de estarmos precisando de muitas coisas, não somos carentes. Não somos desemparados”, explica Cintia. “No Rio de Janeiro”, Cintia acredita que “é muito gritante a ilusão de achar que a favela não vai conseguir, porém consegue [muitas coisas]!”. Entre o Céu e a Favela espera trazer mais gente de fora para a Providência para mostrar-lhes o sucesso que há para ser visto na comunidade. Isso, por sua vez, pode ajudar a mudar ideias equivocadas, eliminar estigmas e melhorar a autoestima dos moradores da comunidade, especialmente de crianças e adolescentes. Ao oferecer oportunidades e apoio aos jovens da Providência, Cintia acredita poder mostrar-lhes que podem conseguir qualquer coisa: “Queremos mostrar, especialmente para as crianças, que elas têm os mesmos direitos que qualquer pessoa aqui no Rio—a capacidade de ser quem eles querem ser é primordial”.

*Entre o Céu e a Favela é um dos mais de 100 projetos comunitários mapeados pela Comunidades Catalisadoras (ComCat)—a organização que publica o RioOnWatch—como parte do nosso programa paralelo ‘Rede Favela Sustentável‘ lançado em 2017 para reconhecer, apoiar, fortalecer e expandir as qualidades sustentáveis e movimentos comunitários inerentes às favelas do Rio de Janeiro. Siga a Rede Favela Sustentável no Facebook. Leia outros perfis dos projetos da Rede Favela Sustentável aqui.

Quer garantir o futuro do RioOnWatch?

A doação mensal é a maneira mais sustentável e eficiente de apoiar nosso trabalho incansável e contínuo em prol das favelas do Rio. Comece seu apoio hoje mesmo. CLIQUE AQUI PARA APOIAR.